Ciúmes

O que fazer e o que não fazer com o ciúme de irmãos

O que fazer e o que não fazer com o ciúme de irmãos


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Há ciúme entre casais, há ciúme no trabalho, há ciúme entre os pais e há entre irmãos, porque sempre que há insegurança em si mesmo, há ciúme. Para os pais, ter os filhos com ciúme um do outro é uma situação difícil que cria estresse, perplexidade e, inevitavelmente, sentimentos de culpa: 'O que estou fazendo de errado?' ou 'Em que ponto cometi um erro?' Dizemos a você o que fazer e o que não fazer para lidar com o ciúme entre irmãos!

O ciúme é um emaranhado de espinhos que riscam os nossos sentimentos, deixando marcas que não sangram à primeira vista, mas que, sem serem conscientes, penetram no nosso interior e aí germinam, a ferver, criando uma ferida invisível de consequências incertas. O ciúme é percebido como medo e medo de perder o afeto, o afeto ou o amor de um ente querido, deixando um óbvio traço de angústia e, por conseguinte, atormentando nosso espírito.

Existem ferramentas que podem ajudar a evitar situações de ciúme entre irmãos, uma vez que o ciúme mal curado, mal administrado ou incompreendido pelos afetados, além de deixar feridas abertas - às vezes incuráveis ​​- pode marcar a personalidade das crianças, condicionando as relações familiares.

Você tem que começar de o ciúme entre irmãos é inerente ao ser humano e, portanto, devem ser tomados como algo natural que nem sempre pode ser evitado. O ciúme entre irmãos está subjacente à inveja, à competição, ao confronto e à hostilidade, gerando grande estresse e sofrimento na pessoa que os sofre e, consequentemente, criando um ambiente ruim em casa.

As reações dos irmãos ciumentos podem ser múltiplas: rejeição, destruição de pertences (brinquedos, objetos muito queridos), ameaças, insultos, tentativas de ridicularizá-lo; Porém, todos esses comportamentos aversivos são combinados com verdadeiras cenas de harmonia, carinho e bom relacionamento entre irmãos.

Outra reação comum é o pedido de atenção do irmão que sente ciúme dos pais, principalmente com a chegada de um novo irmão. Neste momento, o menor pode desenvolver comportamentos que implicam uma involução em seu desenvolvimento:

- Do que voltar aos estágios da linguagem que eu já havia superado.

- Do que velhos medos aparecem.

- Do que fazer xixi na cama de novo.

- Do que Não quero dormir sozinha e exigir fazer na sala dos pais, porque lá está o seu irmão.

Seria interessante, nesse sentido, estar alerta e, na medida do possível, ignorar aqueles comportamentos que já foram superados e não correspondem ao seu momento evolutivo.

Por outro lado, fazê-lo participar do cuidado do irmão em algumas tarefas do cotidiano como banho, trocar fralda ou comer, reforçando-o com elogios e expressões positivas pode ajudar a relaxar a situação.

Conforme explicado pela Associação Espanhola de Pediatria, em seu relatório 'Ciúme Infantil', 'O ciúme só é prejudicial se os pais se dedicam a reprimi-lo ou corrigi-lo ou desprezam a criança por ter aquela reação natural e, às vezes, há mais problemas na mãe por sentimentos de culpa ao ter outro filho e antecipar o luto do filho presente que não aquele apresentado pelo próprio filho.

Sem dúvida, um dos erros mais comuns entre pais e parentes é procurar comparações entre irmãos. A determinação dos pais de que as qualidades que brilham em um irmão sejam automaticamente refletidas no outro cria um terreno fértil no qual o ciúme logo germinará.

Compreender que cada irmão é uma pessoa diferente, com preocupações, interesses, necessidades e tempos diferentes e dar a cada um o espaço e a atenção necessária é uma tarefa que, embora não seja fácil para os pais, pode evitar a competição entre eles. O que mais devemos fazer e o que devemos evitar?

- Não tenha medo de elogiar uma criança por medo de que a outra se sinta mal, acho que o bom é importante dizer, a única coisa que evita comparações.

- É uma prioridade ensine nossos filhos a lidar com suas frustrações, especialmente nas situações em que o outro irmão é decisivo.

- Minimize suas tentativas fracassadas, Incentivá-los a tentar novamente, ajudá-los a encontrar erros, evitar pressões e elogiar o progresso pode ser frutífero.

- Considero importante que irmãos e irmãs saibam valorizar e elogiar o bem do outro. Saber que é amado por um irmão e ter o reconhecimento dele é uma forma natural de criar laços.

- Da mesma maneira, ensine-os que podem ajudar uns aos outros, nas práticas em que são menos habilidosos, pode se tornar uma boa forma de estreitar relacionamentos e valorizar-se como irmãos.

- Também é necessário incentive momentos relaxantes entre a família por meio de jogos cooperativos, passeios, viagens e todas aquelas atividades que proporcionam momentos de prazer e estreitam laços.

Mais uma vez, é importante saber como lidar com as emoções. Como pais, tentamos encontrar o equilíbrio. Podemos ajudar a regular o seu estado de espírito e garantir essa harmonia. Ajudá-los a crescer com uma educação emocional adequada, proporcionando-lhes autoconfiança, respeitando os interesses dos outros e ensinando-os a superar e enfrentar seus limites, os ajudará a ter ferramentas para enfrentar situações futuras, como o ciúme, desse tipo que seja.

Você pode ler mais artigos semelhantes a O que fazer e o que não fazer com o ciúme de irmãos, na categoria Ciúme no local.


Vídeo: RELACIONAMENTO entre IRMÃOS ADULTOS #66 (Dezembro 2022).